Orientação Profissional

O trabalho de orientação profissional visa auxiliar na percepção das habilidades, perfil e interesses da pessoa por determinadas atividades. Não é um trabalho de cunho decisivo, pois muitas habilidades podem ser desenvolvidas e os interesses podem se modificar dependendo do contexto que a pessoa está inserida.

A linha comportamental entende que a definição profissional ocorre a partir dos fatores:

1. Genéticos – que compreendem habilidades físicas que poderão facilitar ou não à aptidão para determinadas áreas.
2. Culturais – avaliação das profissões, à valorização social de determinadas atividades profissionais (status, respeito, remuneração), o meio em que se está inserido entre outras questões.
3. Familiares: refere-se à histórias de aprendizagem dos indivíduos com os pais e outras pessoas constituintes da família, os modelos parentais, a profissão dos familiares, as experiências pelas quais a pessoa passou durante sua vida.

Dessa forma é importante que os dados obtidos através do trabalho de orientação profissional sejam considerados através de uma análise macro, avaliando-se não apenas os resultados obtidos, mas sim estes resultados frente ao contexto sócio cultural da pessoa, suas habilidades, os repertórios que necessitam serem desenvolvidos e os porquês de alguns repertórios estarem em defasagem. É uma discussão que não se limita apenas à resultados de testes e atividades, mas sim a uma interação e ponderação mais amplos que buscam a satisfação profissional e pessoal.

Para que se possa ter uma decisão é necessário fazer uma pesquisa que não se limite apenas à aplicação de testes, mas também à uma busca in loco, isso é, visitas às instituições de ensino, pesquisas sobre os cursos, entrevistas com profissionais, verificação dos objetivos e possibilidades de cada profissão que se tem interesse, cursos de formação, mercado de trabalho, áreas de especialização.

As profissões não precisam ser limitadas às áreas de atuação mais conhecidas, como pro exemplo, uma médica atuar na área clínica, mas sim pode-se criar atividades através dos cursos de formação e especializações através da junção não apenas do conhecimento, mas também das habilidades da pessoa, das suas experiências, das suas áreas de interesse.

Por tanto, este trabalho visa ser uma facilitador da decisão sobre à escolha profissional, visa proporcionar um aumento do conhecimento não apenas sobre as profissões, mas especialmente sobre si mesmo e as atividades que podem lhe ser gratificantes.